FAÇA VOCÊ MESMO

Foto cozinha

 

Depois que a rotina faz com a gente o mal que a rotina sempre faz, sair da mesma, ainda que numa simples segunda feira ordinária, sempre nos impõe uma gostosa estranheza. Digo gostosa, para aqueles que enxergam uma oportunidade e não um vazio existencial. Pois, foi isso que a última segunda me ofertou.

A estranheza me abraçou quando abri a porta de casa e fui recebido pelo sol forte que atacava metade do sofá, foi assim que descobri o porquê da aparência cada vez mais bicolor desse amigo de sala.

Procurando encontrar minha oportunidade passei a fazer conta, descobri que chegara 2 horas mais cedo do que o costume, tempo suficiente para produzir algo. Tomei a decisão de tentar agradar a família com alguma criação culinária. Parti para o supermercado.

De volta ao lar, restavam-me 1 hora e 20 minutos para preparação na cozinha. Ninguém nunca vai certificar minha habilidade na cozinha, até porque, ela não existe, no entanto, praticar sempre me agradou, não fosse pelo resultado final, era pelo tempo dedicado às facas misturadas sempre com doses de boa música e alguma taça ao alcance das mãos.

Brasília me castiga nesse hobby, morar em apartamento pequeno não é convidativo para arte de cozinhar, talvez, por isso mesmo, fosse essa minha primeira vontade para aproveitar o fim da segunda feira, era saudade. Mãos à obra!

Resolvi que faria um lanche utilizando o forno para assar pedaços de pão italiano que serviam de cama para várias “coisinhas”. Simples, mas suficiente para mostrar para Nadya e Lavínia que gastei o tempo extra pensando em agrada-las.

O primeiro passo foi tirar o lixo da cozinha para trabalhar em ambiente mais limpo. Dois ou três movimentos dentro da cozinha apertada foram suficientes para derrubar um copo de vidro no chão. Um revés desanimador para o início da missão, porém, sem pensamento de renúncia, passei a tirar cuidadosamente os cacos do chão com o pensamento nos pezinhos gordos da Lavínia que adoram pisotear, descalços, toda casa.

Retomada a força, preparei a forma, cortei o pão, piquei e cortei as tais “coisinhas” para cobrir o pão, daí então, lembrei-me de pré aquecer o forno. Algumas vasilhas e alimentos estavam escondidos dentro do forno, coloquei-os por sobre o fogão. Dentre os alimentos estava o saco de pão de forma, estrategicamente guardado fora do alcance das pequenas formigas de apartamento.

Com o forno vazio, era só sintonizar na estação 180º e aguardar uns 5 ou 10 minutinhos. Todavia, este cozinheiro que vos escreve, abriu o gás de uma boca do fogão e não a boca do forno. Quando dei o dedo no acendedor de chamas não levou nem 1 segundo para iniciar um pequeno incêndio na embalagem do pão.

Entre o espanto do “não acredito!” e o racional do “faça alguma coisa” a embalagem do pão se derreteu, grudou na grade da chama, contaminou boa parte dos pães e, por fim, minou as forças do cozinheiro que passou para segunda sessão de limpeza.

Quando família chegou eu disfarcei como podia e perguntei:

– Ifood ou Uber eats?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s